Você está aqui: Página Inicial / Administração / Histórico

Histórico

O curso de Administração do Centro Universitário Izabela Hendrix iniciou suas atividades por meio da incorporação da Faculdade de Administração Champagnat-FAC/ICÉS que estava localizada à Rua Estevão Pinto, 400 –Serra – CEP: 30220-060- Belo Horizonte –MG, ministrando apenas o Curso Superior de Administração de Empresas. A faculdade de Administração de Empresas tinha como mantenedora o Instituto Champagnat de Estudos Superiores, cujo curso foi autorizado a funcionar através do parecer do CFE Nº. 716/1974 de 08/03/1974. Em 03/05/1974 foi publicado o Decreto Federal Nº. 74002 de 02/05/1974. O Reconhecimento veio com o parecer Nº. 2745/1977 do CFE em 07/10/1977. No dia 13/12/1977 foi reconhecido através do Decreto Federal Nº. 81027 /1977 de 12/12/1977.

Com a doação de um terreno situado à Rua Gonzáles Pecotche, 300-Vila da Serra, pela Prefeitura Municipal de Nova Lima, iniciou-se a construção de um prédio com o objetivo de transferir as atividades. Em 19 de outubro de 1998, conforme documento registrado em ata de reunião ordinária do curso, o então Diretor Geral, Professor Juarez Távora de Freitas, comunicou em reunião ordinária ao Conselho Departamental do Curso de Administração de Empresas a incorporação da Instituição que ocorreria em janeiro de 1999 pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix. A Faculdade de Administração Champagnat foi incorporada pelo Instituto Metodista Izabela Hendrix através da portaria do MEC nº. 73 de 14 de janeiro de 1999. Desde então, até o final do ano de 2006, o curso de Administração era oferecido nesse local.

No início do ano de 2007, o curso de Administração passou a ser oferecido na cidade sede do Instituto Metodista Izabela Hendrix,em Belo Horizonte, Minas Gerais e deixa de ser oferecido em Nova Lima. Assim, as turmas que cursavamem Nova Limaterminariam o curso nesta cidade e os ingressantes de 2007 passariam a realizar o curso em Belo Horizonte.

Atualmente o Curso de Administração do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix o curso está sendo oferecido no campus da Praça da Liberdade ebusca alcançar os seguintes objetivos:

  • Ser uma comunidade aprendiz elegendo o discente como ator principal do processo educativo e evitando fazer do professor um “emissor de informações”, colocando-o como facilitador do processo de ensino-aprendizagem. O conhecimento é aprendido, contextualizado e socializado, possibilitando ao discente aprender o conteúdo, refletir sobre sua utilização, relacionar com as técnicas e com as outras ciências.
  • Entender o desejo de conhecer como fundamental, “um princípio fundamental no ser humano, inserido em sua natureza mais íntima” (John Wesley).
  • Estimular o pensamento crítico como modo de participação do cidadão e a tolerância como meio de ouvir os outros sem perder sua autonomia.
  • Promover a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, ação que deve ter seu início na sala de aula, proporcionando aos discentes instrumentos para a construção do conhecimento, formando o discente-pesquisador e oferecendo à comunidade externa o acesso ao conhecimento articulado. O discente deve ter na prática da indagação o desafio para a descoberta de soluções novas.
  • Refletir, permanentemente, com a comunidade docente e discente, sobre a responsabilidade social do profissional formado em nível superior.
  • Conceber a interdisciplinaridade como forma de despertar o interesse e o compromisso dos discentes com o conhecimento, evitando-se a alienação causada pela fragmentação dos conteúdos.
  • Incorporar em todas as suas práticas acadêmicas uma boa variedade de técnicas e recursos didáticos, sempre em busca do engajamento do discente no processo de ensino-aprendizagem.
  • Incentivar reflexões sobre o papel das novas tecnologias na sociedade e no próprio processo de ensino-aprendizagem. Entendê-las como meio e não fim em si mesmo.
  • Conceber as práticas avaliativas como objeto fundamental para o desenvolvimento intelectual e pessoal do aprendiz.
  • Ensinar empreendedorismo como estratégia competitiva e como alternativa viável no combate ao desemprego e às desigualdades econômico-sociais.
  • Proporcionar o conhecimento dos fundamentos que balizam as relações comerciais estabelecidas em nível de mercado internacional, para formar um(a) empreendedor(a) com competência para atuação em mercado mundial.