Você está aqui: Página Inicial / Fisioterapia / Estudantes do curso de Fisioterapia confeccionam brinquedos sensoriais para crianças com necessidades especiais

Estudantes do curso de Fisioterapia confeccionam brinquedos sensoriais para crianças com necessidades especiais

Iniciativa estimula os pacientes durante o tratamento e torna o atendimento mais leve e divertido
Estudantes do curso de Fisioterapia confeccionam brinquedos sensoriais para crianças com necessidades especiais

Cidadania é, também, garantir a todos o acesso a experiências enriquecedoras. Pensando assim, uma equipe de estagiárias de neurologia e pediatria do curso de Fisioterapia, do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, confeccionou brinquedos sensoriais e pedagógicos para crianças com deficiência. A iniciativa proporciona um atendimento humanizado e assegura a essas crianças um processo de tratamento divertido e eficaz.

A atividade surgiu a partir da ideia de produzir novos brinquedos para serem associados ao tratamento fisioterapêutico. Em entrevista concedida por e-mail, as estagiárias se reuniram para responder algumas perguntas sobre o projeto. Por se tratar de um trabalho em equipe elas preferiram não destacar a autora de cada resposta, atribuindo todo conteúdo ao grupo. 

Segundo as estudantes, cada brinquedo oferece um estímulo diferente, que pode ser sensorial, tátil, visual, auditivo ou de fortalecimento muscular. “Com base em cada patologia identificada nos nossos pacientes, confeccionamos brinquedos que irão estimular os pacientes durante a fisioterapia e proporcionar diversão durante o atendimento”, explica a equipe.

Ainda de acordo com as estagiárias, o retorno esperado é uma maior interação com o terapeuta e o tratamento por meio do novo e do lúdico ao mesmo tempo. “Foi possível observar uma melhora nas movimentações e interações dos pacientes com os brinquedos e, consequentemente, com os terapeutas. É gratificante e prazeroso obter uma resposta positiva da criança através de um brinquedo que você criou especialmente para ela; faz a intenção valer a pena. Percebemos que não é preciso muito para que a criança se interesse pela fisioterapia, e que só precisamos ter uma atenção especial para com suas características pessoais”, concluem.


Equipe de estagiárias:

- Mariana dos Santos Duarte; 
- Marisa Lopes Gonçalves; 
- Niara Guedes de Carvalho; 
- Natália Roberta Gonçalves; e 
- Jessica Solange Alicina de Araujo Gonzaga.