Você está aqui: Página Inicial / Arquitetura e Urbanismo / Extensão

Extensão

O Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, considera as práticas de extensão uma modalidade
 de aprendizagem no mesmo 
status que o ensino e a pesquisa e, por isso, devem ser indissociáveis. Para tanto, o curso baseia-se nas prescrições do PDI (2012-2016) e do Regimento de Extensão Universitária, aprovado pela resolução nº 4 do CONSUN de 23/04/2013. As ações de extensão tem por objetivo: a) compartilhar o conhecimento, acumulado na academia, com toda sociedade como forma de colaboração por uma sociedade mais justa, inclusiva e menos desigual; b) contribuir para a formação científica e cidadã de alunos, professores, funcionários e comunidade em geral, promovendo um diálogo de saberes: acadêmico e popular; c) contribuir para a formação de profissionais-cidadãos capacitados para responder, antecipar e criar respostas aos problemas, conflitos, tensões e contradições da sociedade.

As ações extensionistas do curso devem observar, em especial, aquelas parcelas da sociedade que não tem acesso integral aos bens sociais, econômicos, científicos e culturais. Devem possibilitar ao aluno o aprendizado crítico a partir do contato com a realidade, com os contextos local, regional e nacional e com a comunidade, enriquecendo o aprendizado e a formação com base na responsabilidade social.
Para alcançar estes objetivos, o curso promove por meio de projetos de extensão, seminários, oficinas e atividades curriculares, um processo de aprendizagem sustentado pelo tripé ensino, pesquisa e extensão, abordando de maneira generalista a arte, a história, a cidade, o meio ambiente, a tecnologia e outros temas afins necessários à formação do arquiteto e urbanista. Para isso, pode desenvolver convênios e parcerias com prefeituras, universidades, movimentos sociais, empresas privadas, entre elas empresas do ramo da construção civil e outras instituições.

São modalidades das práticas de aprendizagem que perpassam a extensão:

I – projetos de extensão: ação processual e contínua de caráter educativo, social, científico ou tecnológico com objetivo específico a curto e médio prazo.
II – cursos de extensão – podem ser compreendidos como um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico ou prático, planejadas e organizadas de modo sistemático, com carga horária e critérios de avaliação definidos. Os cursos têm como objetivo a capacitação, atualização, aperfeiçoamento ou treinamento de nossos alunos, funcionários e profissionais militantes na comunidade e na região, portadores ou não de habilitação específica obtida em processo formal
III – Eventos: apresentação e exibição pública e livre ou também com clientela específica, do conhecimento ou produto cultural, científico e tecnológico desenvolvido, conservado ou reconhecido pela universidade. Inclui:

a) congresso: evento de grandes proporções, de âmbito nacional ou internacional, em geral com duração de três a sete dias, que reúne participantes de uma comunidade científica ou profissional ampla. Abrange um conjunto de atividades como: mesa redonda, palestras, conferências, cursos, oficinas (ou workshop);
b) seminário: evento científico de âmbito menor de que o congresso, tanto em termos de duração (algumas horas, um ou dois dias) quanto ao número de participantes, cobrindo campos de conhecimento mais especializados. Incluem-se nessa classificação: encontro, simpósio, jornada, colóquio, fórum e reunião;
c) ciclo de debates: encontros sequenciais que visam à discussão de uma tema específico;
d) exposição: exposição pública de obras de arte, produtos, serviços, etc. Inclui: feira, salão, mostra e lançamento;
e) festival: série de ações/eventos culturais ou esportivos realizados concomitantemente, em período determinado, geralmente em condições periódicas.

IV – prestação de serviços: realização de trabalho oferecido pelo Centro Universitário ou contratado por terceiros (comunidade e/ou empresas), incluindo assessorias, consultorias, cooperação interinstitucional e/ou internacional. Cabe ressaltar que a prestação de serviços na universidade deve considerar sempre o caráter pedagógico de sua ação, eliminando a possibilidade de substituir o Estado em suas
funções. Estes serviços podem dar-se da seguinte forma:

a) Atendimento ao público em espaços de cultura, ciência e tecnologia;
b) Serviços eventuais (assessoria, consultoria e curadoria);
c) Atividades de propriedade intelectual;
d) Exames e laudos técnicos.

VI- publicações e outros produtos acadêmicos: produção de publicações e de produtos acadêmicos decorrentes das ações de extensão para difusão e divulgação cultural, científica ou tecnológica, tais como cartilhas, vídeos, filmes, softwares, anais, revistas, livros, CDs, entre outros.

VII- representação institucional nos setores organizados da sociedade, como no Conselho Municipal de Habitação- CMH, Conselho Municipal de Política Urbana - COMPUR e Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte – CDPCM-BH, entre outros. O curso conta com a Agência do Núcleo de Arte e Tecnologia que atua no desenvolvimento de projetos arquitetônicos, de interiores, e urbanísticos, com a supervisão de professores e a participação de alunos e egressos de ambos os cursos. Esta atividade extensionista visa complementar o ensino acadêmico, e possibilita ainda a atuação de caráter social, ou de prestação de serviços através da realização de trabalhos institucionais, bem como junto à comunidade.

As propostas das práticas de extensão são discutidas e definidas pelo colegiado do curso em diálogo direto com a Coordenação de Extensão Universitária/Pró-reitoria acadêmica. Considerando a realidade sócio-econômica-espacial de nosso país e, mais especificamente, da cidade de Belo Horizonte, parcerias devem ser firmadas norteadas pela ideia de ajuda mútua. Assim, as demandas de grupos comunitários, órgãos governamentais, entidades públicas e privadas podem contribuir para as práticas de ensino, pesquisa e extensão a partir da possibilidade, tanto de alunos como de professores orientadores, atuarem em situações concretas e realidades dinâmicas. Ao mesmo tempo o curso estará contribuindo para a minimização de problemas socioambientais, conforme princípios de responsabilidade técnica e social e estimulando, em seu corpo discente e docente, atitudes éticas, de cidadania e de compromisso com a qualidade de vida nas cidades.