Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2018 / Aluno do Izabela conquista prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil

Aluno do Izabela conquista prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil

por Raissa Melo Ferreira publicado 23/01/2018 16h02, última modificação 23/01/2018 16h02
Projeto propõe ampliação e novo uso da antiga Cadeia Pública de Patrocínio

Como um local inutilizado e em processo de deterioração pode ser transformado em um espaço ativo, cultural e movimentado? O aluno de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Rafael Sânzio Nunes Fonseca, de 33 anos, topou esse desafio e com seu projeto inovador conquistou um prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil.

O trabalho de conclusão de curso do estudante propõe a restauração, ampliação e novo uso da antiga Cadeia Pública de Patrocínio, em Minas Gerais. “A edificação, cuja inauguração data de 1923, é protegida por tombamento em âmbito municipal e encontra-se atualmente em desuso e franco processo de deterioração. Nossa proposta é a criação de um Museu-Escola do Café de Patrocínio, uma nova destinação que poderia vir a viabilizar as obras propostas, visto que o município tem papel de destaque na cafeicultura nacional e mundial”, diz o estudante.

Com o trabalho orientado pelo professor Lizandro Melo Franco, Fonseca foi reconhecido na categoria Trabalho Final de Graduação na 19ª Premiação de Arquitetura IAB-MG – Centenário Raphael Hardy Filho. “A premiação do trabalho não só nos alegra pela validação de nossos esforços na elaboração do projeto, mas, igualmente, pelo respeito que inspira a instituição que concede o prêmio, sendo o Instituto dos Arquitetos do Brasil a mais antiga entidade brasileira dedicada à arquitetura e ao urbanismo”, declara.

O IAB considera que o projeto apresentou: “Clareza na pesquisa, conceituação e apresentação gráfica. Relação da nova construção com a antiga, acessibilidade e contraste necessário entre o novo e o velho se juntam à nova praça, eliminando muros e cercas, permeabilizando acessos e ampliando a visibilidade da restaurada ‘cadeia’”.

"Posso dizer seguramente que não teria desenvolvido o projeto sem o amparo de um corpo docente excepcional como o do Izabela. Destaco o papel do orientador que apoiou em cada etapa o desenvolvimento do projeto. De modo geral, é notável o empenho de todos os professores em garantir um alto nível em todo o processo de aprendizado e, particularmente, nos trabalhos finais de graduação", conclui o estudante. 

Confira abaixo visualizações arquitetônicas do projeto e imagens da Cadeia em 1923 e recentemente:

Aluno do Izabela conquista prêmio do Instituto de Arquitetos do Brasil