Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Diretor Geral confirma evolução da situação econômico-financeira da Rede Metodista de Educação

Diretor Geral confirma evolução da situação econômico-financeira da Rede Metodista de Educação

por Bob Villela publicado 31/03/2016 18h48, última modificação 31/03/2016 18h53

Entrevista publicada no jornal Expositor Cristão.

Vários segmentos da Igreja estão em fase de preparação dos relatórios para o 20º Concílio Geral. O Conselho Superior de Administração das Instituições Metodistas (Consad), que é também a instância nomeada pela Assembleia Geral para dirigir as instituições subordinadas à Administração Superior da Igreja, destaca a evolução da situação econômica e financeira nos últimos quatro anos. A receita de ensino, segundo o relatório do Consad, que chegou a pouco mais de 521 milhões em 2011, ultrapassou os 641 milhões até o final do ano passado. A dívida de 365 milhões está sendo amortizada aos poucos com estratégias da nova gestão. 

A educação metodista e gestão da Rede das instituições educacionais metodistas será um dos temas de prioridade no 20º Concílio Geral. O jornal Expositor Cristão, edição de abril, entrevistou o Diretor Geral da Rede, Dr. Robson Ramos de Aguiar, que falou sobre os desafios, as medidas que estão sendo tomadas e sobre a evolução econômica e financeira nos últimos quatro anos. Você confere abaixo a entrevista na íntegra!

Expositor Cristão: A Assembleia Geral e o Consad determinaram à Direção Geral uma mudança estratégica a partir de meados do segundo semestre de 2015. Qual a finalidade dessas medidas? 

Robson Aguiar: Desde o último Concílio Geral, a Igreja Metodista percebeu a importância de estabelecer um novo tempo para a gestão de suas instituições educacionais. Sabemos que a Educação é parte intrínseca da Missão, conforme a tradição wesleyana sempre orientou, baseada na Palavra de Deus. Portanto, para manter a oferta de uma Educação de Qualidade e marcada pelo anúncio do Reino de Deus, fez-se necessário aumentar a profissionalização e trabalhar de forma o mais articulado possível. Nos últimos anos, foi realizado um amplo diagnóstico da situação, o que apontou necessidades profundas de reorganização, explicitou desafios financeiros antes desconhecidos da Igreja e apontou as possibilidades para o enfrentamento da situação. Os pais, familiares e responsáveis prezam cada vez mais escolas nas quais o ambiente é sadio e cuja atuação se baseia em valores éticos cristãos. O relacionamento estabelecido em rede, entre gestores e professores que trocam experiências e aprendem em colaboração, permite fortalecer esse trabalho. Diante do quadro atual, de acirramento da competição e novas demandas da sociedade, é praticamente impossível para uma instituição sobreviver sozinha, sem os benefícios da atuação em rede. 

EC: O que já foi feito ou quais passos estão sendo tomados nessa direção?

RA: Temos medidas já tomadas e em andamento para otimização de custos, o que inclui revisão de todos os contratos com fornecedores, negociações para o alongamento de dívidas e, em último caso, a redução do quadro de pessoal onde isso for possível. Também estão em andamento a revisão do portfólio de cursos, a busca de parcerias e o desenvolvimento de novas formas de apoiar alunos a se matricularem e permanecerem matriculados. O objetivo principal é garantir o equilíbrio operacional e que novos aportes financeiros sejam sempre no sentido de fortalecer a saúde institucional, por meio da mudança do perfil da dívida ou para investimentos em expansão e qualificação da oferta. 

EC: Quais são os desafios da Educação Metodista e da Rede Metodista de Educação para o próximo biênio?

RA: Além de garantir o equilíbrio operacional, precisamos anunciar mais clara e explicitamente a nossa confessionalidade. Nesse sentido, é fundamental o trabalho das pastorais escolares e universitárias, sob a orientação do Colégio Episcopal, para que o conhecimento bíblico seja difundido entre nossos alunos, professores e funcionários; a oração torne-se uma prática cotidiana em todos os setores e; que as celebrações cúlticas sejam realizadas sempre que possível, alcançando especialmente estudantes, que estão sob ataques fortíssimos de um mundo que promove a morte e a dissolução. O metodismo nasceu na Inglaterra, de reuniões realizadas por universitários interessados em servir a Deus. Esse mesmo movimento de santificação precisa ser retomado em nossas instituições educacionais, é uma das principais razões pelas quais existimos dentro da Educação.Outra urgência é investirmos em projetos de aprendizagem que levem ao desenvolvimento de competências necessárias ao aluno para se desenvolver no Século XXI, tornando-se um cidadão atuante capaz de ter e perseguir seus sonhos. Envolve um olhar atento para o currículo, para as relações de ensino-aprendizagem, para as oportunidades de interação, colaboração e comunicação online e para a formação docente. A Educação a Distância é uma modalidade que nos permitirá atuar em rede de uma forma cada vez melhor articulada e com maior integração, tanto na Educação Superior quanto na Educação Básica. Precisamos melhorar nossos resultados alcançados nas avaliações externas, tais como ENEM, ENADE, IGC e outros, além dos objetivos de aprendizagem de cada estudante em particular. Isso se soma ao nosso posicionamento com base no eixo “Ciência, Tecnologia e Sociedade”, um dos pilares que a sociedade brasileira precisa desenvolver para garantir melhoras na qualidade de vida da população.  

EC: Como está a situação econômico-financeira da Rede no último quadriênio? 

RA: Temos melhorado nossos indicadores de desempenho a cada ano, com efeitos mais fortes e benéficos especialmente nos últimos meses graças às medidas já descritas aqui.

EC: Qual foi a principal mudança?

RA: Talvez a mais recente é que a gestão financeira está toda orientada com base no fluxo de caixa, o que permite avaliar diuturnamente como está a caminhada e realizar os ajustes necessários antes dos períodos de fechamento contábil. Essa transparência que o fluxo de caixa nos traz tem permitido verificar onde é mais urgente realizar mudanças e tomar decisões sem nenhum viés subjetivo. É uma questão de apresentar ou não os resultados esperados e, consequentemente, agir sobre as eventuais causas de problemas para reverter situações antes só percebidas quando era tarde demais. Também temos em desenvolvimento um painel de indicadores acadêmicos que permitirá avaliar a situação de cada instituição em termos de sua atividade-fim, o agir educacional, e comparar com as melhores práticas do segmento, dentro e fora da rede.

EC: Qual o valor real da dívida da Rede e quais os passos que estão sendo tomados com a finalidade de buscar uma estabilidade das instituições metodistas? 

RA: Ainda estamos em fase de auditoria para publicação dos balanços de 2015, mas podemos afirmar que a dívida bancária total equivale aproximadamente 2 vezes os resultados operacionais de 2015. Ressaltando que as providencias necessárias para equalização desses compromissos estão tomadas, com boas perspectivas de encaminhamento. 

EC: Há alguma previsão de venda de alguma instituição para ajudar a saldar a dívida ou parte dela? 

RA: Isso está fora de cogitação. Voltamos a afirmar que a Educação é parte da missão metodista. A atual administração tem tomado as providencias necessárias para que todas as instituições sejam superavitárias e, consequentemente, garantam a sustentabilidade. Também é bom lembrar que as mudanças recentes da legislação são fortemente restritivas para impedir quaisquer decisões nesse sentido, ao definir que as instituições educacionais que são comunitárias ou filantrópicas não podem ser alienadas. 

EC: Há algum programa de formação de lideranças educacionais metodistas em andamento?

RA: Nós buscamos garantir que as condições precípuas de uma seleção profissional sejam a competência técnica, o nível de formação e titulação, além da reputação ilibada. Nesse sentido, temos ampliado a divulgação de vagas junto a metodistas comprometidos com igrejas locais que se interessem em concorrer para ocupar funções estratégicas, tanto no campo acadêmico quanto na gestão administrativa. O interessado aceita e declara que o os processos seletivos nas instituições educacionais metodistas respeitam os critérios da igualdade de salários entre homens e mulheres e da não discriminação em matéria de emprego e profissão, entendida esta como toda distinção, exclusão ou preferência fundada na raça, cor, sexo, religião, opinião política, ascendência nacional ou origem social que tenha por efeito destruir ou alterar a igualdade de oportunidades ou de tratamento em matéria de emprego ou profissão. Respeitadas essas condições, também preparamos o lançamento de um programa de trainees que vai priorizar a busca de jovens comprometidos com as igrejas metodistas interessados em desenvolverem uma carreira nas nossas instituições.  Neste momento também estamos fazendo um cadastro reserva de todos os Metodistas com Doutorado em qualquer área.

Confira a matéria completa na edição de abril do Expositor Cristão.