Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Izabela Hendrix tem setor especial dedicado à inserção de alunos no mercado de trabalho

Izabela Hendrix tem setor especial dedicado à inserção de alunos no mercado de trabalho

por rodrigo.melo publicado 23/05/2017 16h25, última modificação 23/05/2017 16h25
Núcleo de Estágios e Orientação Profissional é elo entre empresas e estudantes
Izabela Hendrix tem setor especial dedicado à inserção de alunos no mercado de trabalho

Identificar, selecionar e qualificar estudantes para integrá-los aos programas de estágios oferecidos pelas empresas. Essas são as metas do Núcleo de Estágios e Orientação Profissional do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, serviço que une ensino, prática, extensão e pesquisa em favor da inserção de alunos no mercado de trabalho ainda durante o período de graduação.

O incentivo aos estágios curriculares e extracurriculares é uma política institucional do Izabela Hendrix. A prática auxilia estudantes no processo de aquisição de conhecimentos, além de favorecer a experiência acadêmica, estimular a criatividade e proporcionar vivência profissional no campo de atuação.

O Núcleo atua em diversas frentes, sempre amparado pelo caráter multidisciplinar da experiência profissional. O trabalho do setor envolve etapas que vão desde o processo seletivo até a admissão e a administração do estagiário de acordo com a legislação. Nesse período, é oferecido atendimento baseado em conceitos modernos de trabalho em equipe, além de treinamentos e palestras contínuos para formação qualificada dos estudantes. O objetivo final é ser o elo entre vagas de trabalho que se adequem pedagogicamente aos cursos e alunos alinhados aos perfis exigidos por empresas parceiras.

Orientação profissional

Desde 2015, o setor incorporou novos serviços à sua atuação, antes focada em questões legais e jurídicas, e passou a funcionar como um núcleo de integração entre estudantes e empresas. Com a atual estrutura, o atendimento passou a incluir orientação profissional e desenvolver ações para capacitar os alunos para a tomada de decisões em âmbito acadêmico e profissional, o que engloba escolhas sobre cursos de graduação e carreira profissional.

Paula dos Santos, pedagoga responsável pelo Núcleo de Estágios e Orientação Profissional, relata que a ampliação do setor permitiu que os alunos passassem a desenvolver autoconhecimento, autoestima e capacidade para detectar fragilidades e habilidades em suas competências, elementos que possibilitam o melhor planejamento de carreira profissional. “Esclarecemos os estudantes em relação aos seus direitos e deveres e prestamos suporte às empresas sobre sua atuação nesse processo que é tão importante na formação do acadêmico. Através da orientação profissional, os alunos são acolhidos e direcionados às vagas já com o conhecimento de seus pontos positivos e das questões que precisam ser melhoradas para a atuação no mercado”, explica.

O autoconhecimento e o conhecimento do ambiente de trabalho são dois elementos importantes do serviço de orientação profissional. No Izabela Hendrix, o Núcleo desenvolve o trabalho por meio de entrevistas individuais, aplicação de testes e devolutivas, preparo para atuação em entrevistas, entre outras atividades que compõem uma metodologia divididas em três áreas: identificação de aptidões e atitudes; definição de objetivos e foco em resultados. “Trabalhamos as habilidades e competências e encaminhamos os alunos para vagas dentro do seu perfil. Conforme a necessidade, direcionamos os estudantes para oficinas e atendimentos psicológicos que o ajudam a trabalhar possíveis déficits”, conta Paula dos Santos.

Diferenciais

O aumento do portfólio de serviços oferecidos pelo Núcleo também inclui novidades como o reconhecimento das formações realizadas durante a orientação profissional. “Além de receber certificado, que poderá ser utilizado como horas complementares, o aluno recebe também uma carta para apresentar à empresa divulgadora da vaga. Assim, a empregador fica ciente que seu potencial funcionário passou pelo acompanhamento necessário e está apto para os desafios impostos pelo mercado de trabalho”, informa a pedagoga.

O vínculo dos alunos egressos também merece atenção do setor. Os ex-alunos do Izabela Hendrix são convidados a participar da orientação profissional e das oficinas e serviços ofertados pela instituição, além de receberem comunicados com vagas de empregos.

Parcerias

O Núcleo de Estágios e Orientação Profissional aposta em parcerias com empresas alinhadas aos objetivos do Izabela Hendrix para promover aos alunos uma experiência de trabalho acolhedora e bem-sucedida. Para isso, o setor mantém contato constante com companhias para o estabelecimento de acordos benéficos para ambas as partes.

Os convênios são feitos com iniciativas focadas em estágios e também de maneira independente. “Dentre as várias empresas parceiras atuais, podemos destacar os agentes de integração como NUBE, AGIEL, FIEMG, CIEE, CEDEP, ISBET e Estagionet. Além disso, temos convênios com organizações que ofertam os estágios diretamente, sem a interceptação dos agentes e com nosso auxílio na elaboração dos contratos e esclarecimentos sobre as possíveis dúvidas”, declara a pedagoga responsável pelo Núcleo.

Números e avaliações positivas

O trabalho realizado pelo Núcleo de Estágios e Orientação Profissional é bem-sucedido em aspectos quantitativos e qualitativos. Os resultados podem ser medidos em dados e pelos retornos satisfatórios sobre o atendimento prestado.

“No ano de 2015, foram registrados e finalizados 3.355 serviços, com cerca de 2.300 contratos de estágios. Acerca da orientação profissional, já passaram pelo Núcleo quase 300 alunos até o momento”, descreve Paula dos Santos. “Felizmente, o trabalho da equipe tem surtido efeito positivo junto aos discentes e feedbacks de agradecimento às ações prestadas”, complementa.

São muitos os casos de estudantes do Izabela Hendrix que passaram pelo Núcleo e obtiverem sucesso em suas integrações ao mercado. Areadny Luiza Silva é um dos exemplos. A Aluna de Direito considera o trabalho eficaz e de rápida resposta. “Através da orientação profissional, adquiri o autoconhecimento necessário para que minhas competências fossem desenvolvidas e para que outras fossem construídas. Tive toda ajuda e atenção para a minha inserção na carreira jurídica”, declarou.

Cecília Santiago Santos, aluna de Engenharia Ambiental e Sanitária, também teve êxito em conseguir um emprego. “Através de entrevistas e testes psicológicos, de perfil profissional e comportamental, foram apontadas minhas habilidades e meus pontos a serem melhorados. A formação do profissional começa na faculdade, mas se concretiza no mercado de trabalho. Por isso, o estágio é uma etapa importantíssima na carreira", afirmou.

Já Maysa Pereira Hermógenes Rosa, estudante de Arquitetura e Urbanismo, conseguiu trabalho depois de muito tempo de procura. “Mesmo com a escassez de vagas, o Núcleo divulgou uma oportunidade, eu fiz a entrevista e hoje sou estagiária de uma empresa que auxilia em minha formação pessoal, profissional e humana", falou.