Você está aqui: Página Inicial / Relações Internacionais / Intercâmbio

Intercâmbio

por Kesia Ventura publicado 09/11/2015 10h05, última modificação 05/01/2016 09h48

Nas últimas décadas, com o fenômeno da globalização, é grande a procura por oportunidades de estudos no exterior, ou intercâmbio, como se convencionou chamar a esta atividade. Vamos entender, em princípio, o que significa a palavra: intercâmbio significa troca, permuta. O que acontece hoje no Brasil, não é exatamente intercâmbio, pois existe um grande número de brasileiros interessados em estudar lá fora, enquanto os estrangeiros, especialmente dos países desenvolvidos, não demonstram tanto interesse por nosso país. Logo, o que se pratica muito é, em realidade, estudos no exterior, já que intercâmbio pressupõe que um aluno vai para o exterior e outro vem para o Brasil. No entanto, a palavra intercâmbio acabou consagrando-se para designar essa atividade, logo, a chamaremos assim.

O interesse por estudar fora do país e a prática de intercâmbio cultural não é algo novo, pois na verdade, embora tenha surgido na década de 40 como uma atividade organizada, isto já acontecia desde o império, quando os filhos das famílias abastadas seguiam para a Europa para estudar e retornavam revolucionando costumes e influenciando a política da época. Todos aprendemos na história do Brasil como alguns desses "intercambistas" foram importantes nos processos da proclamação da nossa independência e da abolição da escravatura. A meca desses pioneiros era Paris, onde tiveram contato com os Iluministas (filósofos como Diderot, Voltaire, Rousseau), que pregavam um pensamento filosófico surgido no século XVIII na Europa, que defendia o ideal das sociedades liberais, seculares e democráticas.

Pois bem, nos dias de hoje, essa busca deve-se ao fato de que as empresas passaram a valorizar muito os profissionais que não somente falam outros idiomas, como também apreciam o fato de seus funcionários conhecerem outras culturas, pois isso faz com que a pessoa tenha uma visão de mundo mais rica e ampla, além de mais flexível. Algumas empresas só chamam para entrevista candidatos cujo curriculum contenha experiência internacional.

Uma experiência de estudos no exterior realmente agrega muito valor ao crescimento profissional e pessoal. Entretanto, é preciso estar psicologicamente preparado, pois a experiência requer uma grande dose de tolerância, desprendimento e capacidade de lidar com imprevistos, como a "saudade de casa, da comidinha da mamãe", a ausência de familiares e amigos em quem se apoiar, as diferenças culturais, de clima, de hábitos e até mesmo de valores. Porém, tendo em mente que um dos objetivos do intercâmbio é exatamente esse, o de alargar nossos horizontes, pode-se tirar imenso proveito e incorporar algumas vantagens que não ficam só no aprendizado de uma nova cultura ou aperfeiçoamento de um idioma, mas também no desenvolvimento psicológico, na auto-confiança, amadurecimento, independência, capacidade de relacionar-se respeitando as diferenças e acima de tudo, a sensação de sentir-se "um cidadão do mundo", além de ser, é claro, um enorme diferencial em nosso currículo.

Dicas