Você está aqui: Página Inicial / Museu / Especial / Chácara Flora

Chácara Flora

Lugar ligado á história e testemunho das mulheres metodistas

A Igreja Metodista, no Brasil desde 1867, sempre procurou dar ênfase à educação. Inúmeros Colégios espalhados pelo país confirmam isso. Também havia um cuidado especial voltado para o trabalho evangelístico. Inicialmente, apenas os homens tinham acesso à formação para o pastoreio das igrejas locais. Em 1941, o Instituto Metodista em Ribeirão Preto criou o curso de Educação Religiosa com a finalidade de preparar moças evangélicas para melhor servir à Igreja. Em 1950 o curso foi transferido para a sede própria na Chácara Flora, Santo Amaro, São Paulo.


O Instituto sempre procurou oferecer o melhor possível numa variedade de disciplinas. Além de português, história, Bíblia e educação, havia cursos em economia doméstica, serviço social, enfermagem, artes plásticas, música, recreação e jardinagem. Como parte do curso, as moças treinavam nas igrejas locais e, durante as férias, dirigiam em todo o Brasil, cursos para obreiros e escolas bíblicas de férias.

Estimuladas pelo próprio ensino no Instituto, muitas alunas sonhavam continuar os estudos após a formatura. Porém por falta de registro nos órgãos oficiais de educação, não havia acesso à faculdade. Em 1966, o Instituto Metodista criou a Faculdade de Educação Cristã e, consequentemente, em 1968 as alunas foram transferidas para a Faculdade de Teologia que se comprometia em incluir educação da mulher metodista no Brasil.