Você está aqui: Página Inicial / Biomedicina / Extensão

Extensão

As atividades de extensão são concebidas pelo Curso de Biomedicina como um processo acadêmico indispensável para a formação do aluno e para o intercâmbio da universidade com a sociedade.

 As ações de extensão visam, especialmente, compartilhar o conhecimento, acumulado na academia, com toda sociedade como forma de colaboração por uma sociedade mais justa, inclusiva e menos desigual a partir da:

 I – constituição de um espaço de interação permanente entre docentes, discentes, funcionários e setores da sociedade: poder público, setor empresarial e sociedade civil;

 II – contribuição para a formação de profissionais-cidadãos capacitados para responder, antecipar e criar respostas aos problemas, conflitos, tensões e contradições da sociedade;

 III – aprendizagem recíproca entre alunos, professores, funcionários e sociedade, ocorrendo em diferentes espaços e momentos, dentro e fora do Centro Universitário.

 

Conheça os projetos de extensão do curso de Biomedicina:


- Saúde Coletiva

- Desastre de Mariana: avaliação quali-quantitativa dos impactos ambientais e suas respectivas medidas ambientais para recuperação da biodiversidade, qualidade da água e dos aspectos sociais em um trecho da Bacia do Rio Doce

Resumo: 
Avaliação de forma quali-quantitativa dos impactos ambientais e proposição de medidas para a recuperação da biota, da qualidade da água e dos aspectos sociais em um trecho da bacia do Rio Doce onde localizou-se o rompimento da barragem de rejeitos de minérios. A área a ser estudada localiza-se a 40 quilômetros de Bento Rodrigues, denominado distrito de Paracatu de Baixo. O distrito é considerado o segundo mais afetado pelo desastre. Localiza-se às margens do rio Gualaxo do Norte. Neste distrito, só o telhado das casas restou aparente em meio à lama. Lá, a tsunami de rejeitos chegou quatro horas depois do rompimento da barragem de Fundão. Atualmente existem fontes de poluição e contaminação essencialmente ligadas ao desastre ambiental no curso d’água (ferro, manganês, alumínio, éter-amina, dentre outros), o que prejudica a biota, qualidade de vida das populações ribeirinhas, bem como as fontes de abastecimento de água. A metodologia será utilizar levantamento de bases científicas existentes, documentos técnicos já elaborados, bem como o levantamento de campo e coleta de amostras para caracterização dos impactos ambientais quali-quantitativos, coleta e análise de águas ao longo do trecho do rio, bem como elaboração de questionário socioambiental da população direta e indiretamente afetada. A partir dos resultados, traçar estratégias de adequação ambiental, visto que para propor ações é necessário conhecimento deste desastre nos meios físico, biótico e antrópico, por se caracterizar como um dos estudos pioneiros na região afetada.

cursoextensaobiomedicina1.semestre18