Você está aqui: Página Inicial / Engenharia / Engenharia Ambiental e sanitaria / Extensão

Extensão

O curso de Engenharia Ambiental e Sanitária possui dois projetos de extensão e um de pesquisa em andamento:

 

Incentivo ao aprendizado e aplicação de energias alternativas: ASBC

Orientadora: Elizabeth Ibrahim

O sistema ASBC tem o mesmo princípio de funcionamento do sistema tradicional de aquecimento solar de água, diferenciando-se do mesmo pelo tipo de material utilizado e da possibilidade de autoconstrução.

O funcionamento do ASBC se inicia quando a energia solar irradiante, luz e infravermelho, incide sobre a superfície preta dos coletores. A energia absorvida transforma-se em calor e aquece a água que está no interior dos coletores. A água aquecida diminui a sua densidade e começa a se movimentar em direção à caixa, dando início a um processo natural de circulação da água, chamado de termo-sifão.
Para tanto o reservatório deve estar mais alto que os coletores. Esse processo é contínuo, enquanto houver uma boa irradiação solar ou até quando toda água do circuito atingir a mesma temperatura. A água aquecida fica armazenada num reservatório termicamente isolado que evita perda de calor para o ambiente.

No ASBC o sistema de apoio térmico é formado por um chuveiro elétrico ligado em série com um dimmer (controlador eletrônico de potência de um chuveiro elétrico), que permite um ajuste fino na elevação da temperatura da água do banho. A tubulação que interliga os coletores, o reservatório e o chuveiro elétrico pode ser montada com os tubos tradicionais de PVC utilizados normalmente em instalações hidráulicas residenciais.

Portanto, a viabilidade do projeto justifica-se pela fácil construção e sua sustentabilidade para que ocorra a continuidade do projeto ao longo dos anos. Para tanto, o objetivo geral visa promover estudos e aplicações no que diz respeito a implementação de ASBC em cada lar. Os objetivos específicos visa primeiramente capacitar a sociedade civil interessada com cronograma anual definido; implementar um ASBC em lares de comunidades carentes; e, colaborar com o papel de cidadania, disseminando energia renovável limpa.

 

Proposta de Recuperação de uma Voçoroca por Bioengenharia do Solo na Fazenda Experimental Agro-Ecológica Izabela Hendrix, Sabará / MG

Professores responsáveis: Elizabeth Rodrigues Brito IbrahimAndressa Amaral de Azevedo  

Objetivo geral: Promover e implementar ações de recuperação de uma voçoroca na Fazenda Experimental do Izabela Hendrix mediante técnicas de bioengenharia e conscientização ambiental para a população do entorno.

Objetivos específicos:
a) Mapear a área da voçoroca;
b) Quantificar a área da voçoroca;
c) Implementar técnica de bioengenharia;
d) Conscientizar a população local mediante oficinas e palestras sobre a importância de conservação do solo.

 

Pesquisa: Estudo da vulnerabilidade e riscos da paisagem advindo da poluição difusa e pontual na sub bacia do Capão, estado de Minas Gerais

Professora responsável: Elizabeth Rodrigues Brito Ibrahim
Professora colaboradora: Andressa Amaral de Azevedo

Visa o conhecimento, detalhamento e qualificação, do impacto ambiental e social, das fontes de poluição e contaminação encontradas na sub bacia do Capão, MG. Para tanto, será elaborado um diagnóstico preliminar da situação da poluição difusa, bem como da pontual na área em estudo com a finalidade de apresentar os desafios a serem enfrentados, e a necessidade de pactuação de responsabilidades para o controle da poluição pontual e difusa. Esse objetivo macro, subdivide-se em etapas, são elas:

Etapa 1: Definição conceitual de poluição difusa e pontual, dos agentes e fontes geradoras que podem impactar a qualidade das águas na área do estudo, com base na consulta de referências bibliográficas e idas a campo;  
Etapa 2: Identificação e descrição da situação atual da qualidade da água bem como prováveis parâmetros indicativos de poluição difusa e pontual na região, com base na consulta de pesquisas já realizadas, consultas diretas ao banco de dados do projeto, bem como de órgãos governamentais e levantamento de dados no campo mediante a coleta da água e análises físico químicos laboratoriais;
Etapa 3: Apresentação de mapa de atividades antrópicas possíveis de fontes geradoras de poluição e medidas para minimizar os impactos negativos encontrados em cada ponto.