Você está aqui: Página Inicial / Engenharia / Engenharia Ambiental e sanitaria / Histórico

Histórico

por Thiago Tamošauskas publicado 28/10/2015 12h53, última modificação 04/03/2016 17h16

Pesquisas indicam a necessidade de criação do curso
Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix supre lacuna na áera de Engenharia Ambiental e Sanitária

Segundo a Accreditation Board for Engeneering and Technology – ABET (1986) citada em BOCCHINO (2000), a Engenharia é "A profissão na qual o conhe­cimento das ciências naturais e matemáticas, obtido pelo estudo, experiência e prá­tica, é aplicado com bom senso no desenvolvimento de métodos para uma utilização econômica de materiais e forças da natureza para o benefício da humanidade". Para WRIGHT(1989), também citado em BOCCHINO (2000), "A Engenharia é vista como ar­te tão bem quanto ciência. Ela é concebida para reunir um sistema de princípios, métodos e habilidades que não podem ser assimiladas simplesmente pelo estudo, ela deve ser assimilada pelo menos em parte, pela experiência e prática profissio­nal".

A Engenharia, entendida pelos conceitos apresentados e pela prática vigen­te, esteve presente em todos os momentos da história, garantindo o desenvolvimen­to dos sistemas de transporte e de comunicação, dos sistemas de produção, do pro­cessamento e estocagem de alimentos, dos sistemas de tratamento e distribuição de água e energia entre tantos outros. A Engenharia encontra-se associada a um dese­jo natural de combinar a aquisição de conhecimentos com a vontade de aplicar es­ses conhecimentos. As artes e a cultura humanística estão, desde o inicio dos tem­pos, ligadas ao desenvolvimento da Engenharia. 

A Engenharia, por apresentar múltiplas atividades ligadas ao seu desenvol­vimento, teve início praticamente no período paleolítico, com a descoberta das facili­dades que uma simples alavanca pode trazer às necessidades do ser humano. Com as contribuições dos gregos, egípcios e romanos desenvolveu-se a “engenharia mo­derna” (WRIGHT, 1989 apud BOCCHINO, 2000).

O INÍCIO

O Centro Universitário Metodista de Minas Gerais, composto por uma nova reitoria iniciando seus trabalhos a partir de 2007, após a realização de um minucioso estudo e pesquisas de mercado juntamente com as comunidades, áreas industriais, órgãos públicos e privados, ONGs, presentes no município de Belo Horizonte e na região metropolitana, decidiu pela implantação de novos cursos de graduação na instituição, inovando e apresentando a sua contribuição para o desenvolvimento nacional. Abriram-se, desta forma, novos paradigmas, entre eles, a criação de um dos mais novos ramos da engenharia, denominado Engenharia Ambiental, e posteriormente adequou-se os status de Engenharia Ambiental e Sanitária e que tem como um de seus pilares garantir a expansão das atividades econômicas sem prejudicar o meio ambiente, aplicando desta forma o Principio da Precaução do qual o Brasil é signatário desde a ECO-92. O primeiro curso de graduação da Engenharia Ambiental no Brasil teve início em 1992, na Universidade Federal de Tocantins, antes denominada Universidade do Tocantins.

É um curso que qualificará seus profissionais a serem críticos, generalistas, inovadores e empreendedores capazes de contribuir significativamente para a construção de um país cada vez mais desenvolvido e fortalecido economicamente. O Brasil, devido às suas potencialidades, terá um papel importante no cenário mundial dos próximos anos no campo das engenharias, pois já está acompanhando o desenvolvimento mundial, através da criação e modernização de políticas nas áreas de saúde, educação, habitação, meio ambiente, saneamento básico e emprego. 

Além do conteúdo básico de engenharia, o profissional formado terá conhecimentos das áreas de Ecologia, Engenharia Sanitária e Ambiental, Engenharia de Segurança do Trabalho, Geoprocessamento, Climatologia, Hidrologia, Levantamentos Topográficos, Alternativas Energéticas, Gerenciamento e Controle da Poluição Ambiental, Sistemas de Tratamento de Água, Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos e Tratamento de Resíduos Industriais, Saúde Ambiental, Projetos Ambientais e Sanitários, Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável.

Os campos de atuação são as Auditorias, Consultorias, Perícias Ambientais, Gerenciamento, Licenciamento, Fiscalização e Controle da Poluição Ambiental, Projetos Ambientais e Sanitários, atuando nos órgãos estaduais, municipais, federais, bem como em empresas públicas e privadas de grande, médio e pequeno porte.