Você está aqui: Página Inicial / Humanidades1 / Artigos / Izabela Hendrix amplia relação com ex-alunos(as)

Izabela Hendrix amplia relação com ex-alunos(as)

Izabela Hendrix amplia relação com ex-alunos(as)
Por Sander Neves 


Doação e compromisso social são palavras que marcam as raízes das instituições educacionais da Igreja Metodista. Nascida na primeira metade dos anos 1.700, a religião foi fundada por John Wesley, então estudante de Oxford, tradicional universidade inglesa. O movimento metodista objetivava a renovação da Igreja Anglicana, durante a Revolução Industrial. 

Em tempos de exploração da mão-de-obra e alta taxa de desemprego, os metodistas se concentraram na educação dos carvoeiros e classes menos favorecidas da Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda. Os resultados positivos das ações culminaram na expansão do metodismo para diferentes partes do mundo, como é o caso do Brasil. 

No final do século XIX, mulheres metodistas americanas desembarcaram no Brasil com intuito de criar instituições de ensino que colaborassem com o desenvolvimento do país. Mesmo antes da abolição da escravatura, foi criada a primeira escola: o Colégio Piracicabano, em 1881. Esta, e as demais instituições que surgiram foram nesta época só saíram do papel a partir de doações. 

Enquanto algumas mulheres trabalhavam nos Estados Unidos para conseguir arrecadar fundos para criação de escolas no Brasil, outras missionárias atuavam no Brasil para criar e consolidar a educação metodista, principalmente nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O processo aconteceu no contexto da abertura dos portos e substituição da mão-de-obra escrava pela mão-de-obra remunerada artesanal, manufatureira e laboral da imigração européia. 

O trabalho educacional era estratégia da educação metodista para ajudar a libertar da ignorância, do analfabetismo e promover a modernização da sociedade, objetivando preparar as novas gerações para virem a serem futuras lideranças nacionais. Assim nasceu, em 1904, Instituto Metodista Izabela Hendrix. Com doações de mulheres americanas, o instituto foi pioneiro em Minas Gerais. 

Inicialmente voltado para a educação básica, o Colégio Metodista Izabela Hendrix, sempre compatibilizou seus projetos educacionais às exigências da comunidade onde estava inserido. Em tempos em que as mulheres não encontravam espaço para se desenvolver nas escolas, o Izabela Hendrix abre as suas portas para educá-las. 

O trabalho de vanguarda teve o reconhecimento da sociedade mineira, principalmente em virtude dos excelentes resultados apresentados. Como os objetivos iniciais alcançados, o Izabela Hendrix estendeu sua educação de qualidade também para os homens. Assim, em 1967 o colégio tornou-se misto. E, cinco anos depois, ampliou sua área de atuação para o ensino superior. 

O ensino superior completou, em 2012, 40 anos de atuação em Belo Horizonte. Ciente que a sua responsabilidade social deve estar diretamente ligada ao desenvolvimento da nação, o Instituto Metodista Izabela Hendrix buscará parceiros que queiram unir forças para diminuir o abismo entre as classes brasileiras. O primeiro passo foi a realização de pesquisas com formandos(as) e a criação de um site específico para ex-alunos(as) do Izabela. 

Desde o segundo semestre 2007 o Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix realiza pesquisa com as turmas que estão no último semestre dos cursos superiores. O objetivo da pesquisa é abrir diálogo com estudantes que queiram, mesmo após a formatura, manter contato com a instituição. Além disso, as pesquisas abrem espaço para opiniões sobre momentos diferentes vividos durante o curso, desta maneira colaborando com a qualificação da educação. 

Com os dados em mãos foi possível tabular os resultados e planejar quais ações colaborariam para atender as indicações dos(as) ex-alunos. Uma as primeiras iniciativas foi criar um banco com e-mails com intuito de deixar quem já estudou no Izabela Hendrix ciente dos eventos que acontecem na instituição. E mais: os(as) ex-alunos(as) são constantemente convidados(as) a participar dos eventos, mostrando aos(às) futuros(as) profissionais os passos que deram para alcançar os objetivos traçados. 

O Centro universitário também abriu espaço para estudantes opinarem a respeito das linhas de pesquisa e cursos de pós-graduação. Ciente de que as pessoas são eternas aprendentes, o Izabela Hendrix cria cursos lato-sensu baseados em duas diferentes fontes de reflexão: análise das tendências do mercado (especificamente de cada profissão que exige formação superior) e indicação dos(as) alunos(as) e professores(as) sobre o que mais chama atenção para recém-formados(as). 

O passo mais importante dado até agora foi a criação de um Portal de Ex-alunos(as). O ambiente virtual conta com um menu vertical e outro horizontal, onde podem ser encontradas informações de diferentes momentos da história desta centenária instituição. No menu horizontal, aparecem os links com a história do Izabela Hendrix, a política de egressos(as), um formulário para cadastro (e recebimento de informações por e-mail), um mural (onde podem ser deixados recados), oportunidade (indicando empresas e sites que ajudam estudantes se encaixarem no mercado), além do ambiente fale conosco e expediente.

Já o menu vertical do Portal de Ex-alunos(as) é dividido em três grandes áreas: Memorial, Especial e Outros Links. Na parte do Memorial constam fotos e vídeos das décadas de 1970, 1980, 1990, bem como imagens mais recentes, entre os anos de 2000 e 2011. Esta parte do Portal de Ex-alunos(as) foi desenvolvida a partir de uma parceria entre os coordenadores(as) do projeto do site com os(as) coordenadores(as) do projeto de criação do Museu On-line do Izabela Hendrix, que também está no ar. 

Na segunda grande área, denominada Especial, constam vídeos com as imagens de todos(as) os(as) diretores(as) que já passaram pelo Izabela Hendrix, um vídeo com o Hino da instituição, um vídeo com objetos antigos, um vídeo comemorativo dos 40 anos do curso de Ciências Biológicas e, por fim, um espaço para publicação de convites de formaturas das turmas do Centro Universitário. 

Assim como é comum em ambientes virtuais, o Portal de Ex-alunos(as) tem uma área que objetiva fazer a conexão dos(as) visitantes a diferentes áreas do Izabela Hendrix. Nesta área há links para diferentes área do Izabela Hendrix: Portal institucional, Museu on-line, Pastoral Escolar e Universitária, Vestibular, Pós-graduação e Comissão Própria de Avaliação. Este último setor, aliás, é um dos parceiros do grupo que pensa e executa o Portal de Ex-alunos(as), pois também busca a qualificação do ensino, pesquisa e extensão da instituição. 

Outra novidade para incrementar a relação com ex-alunos(as) foi o ingresso nas redes sociais. Atualmente o pefil de ex-alunos(as) conta com centenas de pessoas que acessam as novidades e relembram um pouco da história da instituição. Além disso, nas redes sociais e via site os(as) ex-alunos(as) são convidados(as) a doar fotos, contar histórias e lembrar de momentos marcantes da academia. 

As ações voltadas para ex-alunos(as) não param por aí. Os próximos passos darão conta de qualificar, a princípio, o ambiente virtual e o contato com os(as) ex-alunos(as). O portal ganhará uma “nova cara” com a mudança de leiaute e revisão de links para acrescentar algumas novidades. Em seguida será desenvolvido um mix de comunicação para ampliar o contato com estudantes que já passaram pelo Izabela Hendrix. Aguardem mais novimentos. Afinal de contas, o Izabela Hendrix fará 110 anos em 2014 e tem muita coisa para comemorar e mostrar à sociedade. Nada mais humano do que manter um contato permanente com as pessoas que ajudaram o Izabela Hendrix a figurar entre as principais instituições de ensino de Minas Gerais.