Você está aqui: Página Inicial / Engenharia / Engenharia de Produção / Apresentação

Apresentação

Profissionais são capacitados desde a concepção de projetos
Estudantes de Engenharia de Produção recebem conhecimentos técnicos e científicos tanto no que se refere à matéria prima como à gestão
 
O Curso de Engenharia de Produção resulta da necessidade de um profissional com capacidade de concepção de processos, que possua conhecimentos técnicos e científicos tanto da matéria prima transformada no processo produtivo, quanto do próprio processo de transformação, aliados a competência de gestão. É importante destacar aqui que o conceito de da palavra “processos” assume aqui um significado mais amplo, com aplicação não somente no processo de fabricação industrial, mas também na área de gestão organizacional, tecnológica e de serviços.

Um processo de industrialização se inicia com o projeto do produto, estudado e desenvolvido em seus mais diversos aspectos (características técnicas e de uso, custos, ergonomia, funcional, padrões de qualidade, tecnologias etc.) e devidamente documentado. A tal processo, integra-se a concepção do processo de fabricação – transformação de matéria prima em produto. Contudo, este processo não acaba com o produto finalizado pronto para venda. Ele envolve também outras atividades de pós-venda como a assistência técnica e reciclagem.

O projeto do produto é realizado por um engenheiro de concepção, ou vários, das especialidades inerentes ao produto. Hoje dificilmente se projeta um bem de consumo que não associe novos materiais e eletrônica, por exemplo. Se observarmos um automóvel, notaremos que para seu projeto foi necessário a cooperação de engenheiros mecânicos, eletrônicos, metalúrgicos, químicos, entre outros. Este projeto multi-disciplinar será executado em uma indústria que associa diversos processos produtivos, e que exige a máxima integração entre estes processos. O Engenheiro de Produção é o profissional que tem como função compreender e gerir os processos produtivos de uma indústria, bem como os processos associados à produção. Deve conhecer os processos produtivos, os materiais e suas relações com o processo de fabricação.
 
A conceituação clássica da Engenharia de Produção não poderia se desvincular de suas raízes históricas e, por isso, é freqüentemente centrada em sua aplicação industrial. No entanto, as diversas habilidades desenvolvidas ao longo da formação plena em engenharia de produção terminam por replicar em suas áreas de atuação toda a diversidade embutida no termo “processos”, fazendo com que a Engenharia de Produção veio seja por fim focada no desenvolvimento de métodos e técnicas para a otimização de todos os recursos produtivos. Tal foco é respaldado hoje no mercado que vem admitindo em ordem crescente engenheiros de produção em áreas estratégicas de bancos, hospitais, empresas de desenvolvimento de serviços, grupos de investimento e vários outros.

Conforme atestado por Cunha (2002)[1] é importante dizer que o engenheiro de produção de formação plena não substitui o papel das engenharias clássicas (ou tecnicistas). A classificação atual do Sistema CONFEA-CREA e da antiga portaria MEC nº 48/76), coloca o engenheiro de produção como gestor dos recursos de produção, de maneira que este interage com as demais especialidades de engenharia no desenvolvimento de suas atividades. Busca-se neste curso a formação de um profissional capaz de trabalhar em pequenas e grandes indústrias, nos mais diversos processos produtivos, além de setores de prestação e desenvolvimento de serviços, produção e pesquisa tecnológica e afins. De acordo com Lima (1980)[2], a Engenharia de Produção representa uma integração das engenharias tecnicistas com a administração e ciências humanas e se justifica na medida em que o fator humano permanece e intervém no processo de produção.

Minas Gerais é um estado em plena expansão, com destaque para as atividades de mineração, indústria automobilística e toda a sua cadeia de suprimentos, setor de serviços, construção civil, etc., com amplo crescimento de instituições de ensino federais, públicas e privadas e estaduais, propiciadas pelo crescente desenvolvimento tecnológico e econômico. O objetivo de ofertar o curso de Engenharia de Produção visa atender à conseqüente demanda nos arredores da cidade de Belo Horizonte, fortalecendo a economia e aumentando os índices de empregos formais. Desta forma, o Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix visa oferecer um curso conectado aos avanços tecnológicos e de gestão da produção, rediscutindo a todo instante o mercado de trabalho e os novos rumos da profissão junto às empresas, instituições públicas e sociedade.

[1] CUNHA, G. D. Um Panorama Atual da Engenharia da Produção. Porto Alegre, 2002.
[2] LIMA, Francisco de P. A. Da Natureza e do Objeto da Engenharia de Produção. Escola de Engenharia da UFMG. Belo Horizonte, 1980.