Você está aqui: Página Inicial / Engenharia / Engenharia de Produção / Perfil do Egresso

Perfil do Egresso

Instituição forma cidadãos criativos
Em busca de estilos de vidas sustentáveis, Izabela Hendrix forma profissional com perfil diferenciado

Educar e formar cidadãos qualificados e críticos, com base em valores cristãos, para atuar na transformação da sociedade é parte da missão do Centro Universitário. Entretanto, a formação crítica não se completa sem uma reação propositiva. A reação à critica deve ser traduzida numa alternativa, numa solução, numa proposta criativa de superação de uma situação-problema.

O cidadão criativo atua em prol de estilos de vida sustentáveis. Busca soluções alternativas para problemas comuns ao dia-a-dia, voltados para um padrão de bem-estar social, baseado em produtos e serviços sustentáveis, que viabilizem soluções eficientes e acessíveis para o cotidiano das pessoas. São práticas de inovação social sustentável que, aplicadas ao cotidiano, propiciam novos modos de vida responsáveis.
O curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix visa formar Engenheiros de Produção para atuar em organizações do setor industrial e de serviços através da efetivação de um projeto pedagógico baseado em competências que priorizem o compromisso, profissional, ético, social e com a qualidade de vida da sociedade.

OBJETIVOS

A engenharia de produção é uma disciplina voltada para a transformação da produção, que ela deve conhecer, organizar e fazer evoluir para atender às necessidades de produtores e consumidores. Ela se desenvolveu na medida em que os sistemas produtivos foram se tornando mais complexos. A hegemonia dos princípios e métodos abstratos na análise de problemas produtivos levou ao caráter normativo da maior parte de suas teorias. É sempre difícil dividir seus domínios da administração, economia e engenharias tecnicistas, existindo uma relação dinâmica onde a Engenharia de Produção se diferenciará pela natureza dos problemas e pelo nível em que os aborda. As categorias apropriadas são as de empresa, fábrica, produto, equipe de trabalho, sistema de produção, etc. Um contexto mais amplo e também abordado devido a estreita vinculação com processos econômicos que se passam a nível mundial. Também não é possível negligenciar as mazelas humanas e a depredação da natureza que acompanham o avanço das forças produtivas. Se deve deixar o viés metodológico e voltar ao saber através da prática, ciência e filosofia.[1] Neste contexto, o curso se propõe, entre outros objetivos, alcançar prioritariamente os seguintes pontos:

- Fortalecer os princípios institucionais de inclusão social.
- Fortalecer a indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão através de ações práticas e políticas educacionais.
- Fortalecer a associação entre teoria e prática através de atividades diretamente em ambientes de atuação do Engenheiro de Produção.
- Destacar a importância dos aspectos relacionados à gestão de pessoas, segurança e gestão ambiental.
- Propiciar ao discente uma visão integrada e sistêmica da engenharia através da associação de disciplinas e/ou atividades com demais cursos da área.
- Propiciar ao discente uma visão integrada e sistêmica do papel e da importância do profissional na sociedade através da associação de disciplinas e/ou atividades com cursos de outras áreas de conhecimento..
- Instigar o discente à busca pelo posicionamento crítico, postura investigativa, habilidades de resolução de problemas e tomador de decisões.
- Instigar o discente a construção de novos conhecimentos.
- Instigar a educação continuada e atualizada de discentes e docentes.

[1] Baseado em LIMA, Francisco de P. A. Da Natureza e do Objeto da Engenharia de Produção. Escola de Engenharia da UFMG. Belo Horizonte, 1980.